terça-feira, 29 de novembro de 2011

Controle de embreagem

Esse deve ser o maior medo dos aspirantes a motorista. O problema é sempre o mesmo: Quando soltamos a embreagem muito devagar, o carro não anda. Quando soltamos a embreagem muito rápido, o carro fica pulando. Isso quando ele não apaga e temos que começar tudo novamente.

O problema fica maior ainda quando temos que deixar a embreagem de um modo que o carro fique parado em um aclive ou declive. Em um semáforo no cume de uma subida, na entrada da garagem durante a ré ou no engarrafamento. O que não faltam são exemplos.

Como esse é um problema recorrente, nós faremos uma série de postagens com dicas, instruções, aulas e apostilas sobre como domar essa megera malvada, a embreagem. Vamos começar com uma dica bem simples?

Super Dica: A extensão da embreagem.

Vou contar uma história real. A minha.

Assim que entrei para a Auto Escola eu pensava que toda a extensão da embreagem era responsável pelo controle do motor. Até que um dia um primo meu falou o seguinte: O controle da embreagem esta no "finzinho".

Eu não entendi direito o que ele disse. Então fiz um teste. Com o carro parado (engrenado com a primeira marcha) soltei a embreagem depressa até a metade da extensão. O motor nem notou. Aí as coisas começaram a clarear em minha mente.

Do meio para o fim da extensão da embreagem eu fui soltando mais e mais. Quando chegou a 70% o motor começou a "responder" . Continuei soltando vagarosamente e o carro começou a andar. Após o movimento inicial eu terminei de soltar toda a pisada da embreagem. Ao invés de sair pulando, o carro andou tranquilamente. Sem pulos, sem solavancos.

A partir desse dia eu acelerava bem menos para sair. E o principal: só me preocupava como o controle no final da embreagem.

Dica exclusiva do Blog da Serrana!



A procura da arrancada perfeita

Quando o carro esta em ponto morto, você precisa de menos aceleração para conseguir maior torque. Sei que isso não faz sentido nenhum para quem esta começando a dirigir, então vamos par um exemplo prático.

Imagine a sua bike. Imagine que algo esta segurando a roda de trás acima do chão. Será mais leve pedalar se a roda estiver levantada ou se estiver no chão? Claro que a resposta óbvia é: Se o pneu não estiver em contato com o chão é muito mais fácil pedalar. Fácil de entender, certo?

A mesma coisa é como carro. Quando pisamos na embreagem ou o carro esta em ponto morto, é como se a roda da bike estivesse fora do chão. Qualquer acelerada que você der, ele vai fazer um barulhão.

E é aí que surge o segredo para arrancar sem pressa e sem solavancos. Ao soltar a embreagem você vai precisa colocar mais torque. Ou seja, quanto mais no fim da embreagem mais você deverá acelerar o carro.

Alguns números porque todos devemos gostar de matemática
Vamos partir do princípio que o carro esta
  1. Não comece acelerar enquanto a embreagem esta lá em baixo.
  2. Só quando 60% da embreagem já estiver solta, comece a aceleração.
  3. Com 60% de embreagem, pise até 10% da acelerador
  4. Com 70% da embreagem solta, pise até até 30% da aceleração
  5. Por volta de 80% a 90% da embreagem solta, pise até 40% do acelerador.
  6. Termine de soltar a embreagem totalmente
  7. Diminua a pisada no acelerador levemente. Até 20% ~ 30%
É claro que esses valores irão mudar. Principalmente nos casos de aclive e declive. Mas isso você irá sentir na hora e de acordo com a necessidade. O exemplo acima é para mostrar: Quando menos embreagem, mais acelerador.

A parte mais difícil é conseguir aprender onde fica realmente o finzinho da embreagem. Quando você descobrir, você terá desvendado o segredo para o excelente controle e para o arranque perfeito.

DriveSafe

Um comentário: